quinta-feira, dezembro 10, 2009

Pensar de mais, estraga.

Já passava das três horas da tarde e eu ainda não tinha almoçado, nem fumado um cigarro e muito menos tinha saído de casa.
Depois de sair de um banho que lavou a minha alma tediosa, decidi preparar finalmente algo para comer.
Abri a porta da geladeira e reparei que tinha algo que não cheirava bem. Não sabia o que era então me pus a farejar até encontrar, para poder dispensar no lixo, seja lá o que fosse.
Meu nariz não estava em perfeitas condições.
Enfiei a cabeça dentro da geladeira e comecei a usar o olfato como os cães fazem, respirando rápido pelo nariz e deixando que ele guiasse a minha cabeça por entre as divisões da geladeira.
No processo, me distrai com algumas coisas, dentro da geladeira e dentro da minha cabeça. É conhecido que as geladeiras te fazem pensar enquanto estão abertas.
Já era tarde, pensei que deveria ter almoçado mais cedo. Eu ainda não sabia o que iria preparar para comer junto do arroz e feijão que estavam nas panelas tampadas em cima do fogão. Estava com uma tremenda vontade de fumar, mas fumar antes do almoço me faz perder a fome.
Abri a gaveta que fica na parte de baixo da geladeira e encontrei algumas frutas, verduras e um saquinho de supermercado. Abri o saquinho e verifiquei algumas uvas passas.
Isso me remetia ao começo do final do ano e toda a palhaçada ébria que estava se aproximando.
Mesmo assim, decidi comer algumas antes de continuar com a missão de caça a mistura. É fácil caçar quando se possui uma geladeira.
Mastiguei algumas uvinhas e foi então que encontrei, pelo sabor, o que não cheirava bem lá dentro...
Ovo. Decidi então, fritar um ovo.

4 comentários:

pá. disse...

encontrar sacolinhas de supermercado a essa altura é perigoso. ahuahuahua
sozinho em casa ainda. ui.
ahauhauauaha

;]

Katrina disse...

eu acenderia o cigarro mesmo

Thathá disse...

uvas passas ou ovo?
natal ou ano todo?
com alguns cheiros a gente se acostuma...

M. S. disse...

Crônicas, crônicas, crônicas, gosto delas e gosto de teu tom com elas.
Passeava xereteando por ai quando te achei. Apareci e sumi.
continue a escrever...