quinta-feira, outubro 25, 2007

E Chove.

Venha, aproveitemos essa tarde esquecida no calendário, sente-se aqui do meu lado e vamos desfrutar desse silencio da sala muda, que se cala para escutar a suave chuva lá fora.
Sentemos lado a lado e observemos a chuva que dança com o vento no quintal. Repare nas gotículas de água que se chocam no vidro, e deslizam como bailarinas até seu destino.
As nuvens escureceram a sala, mas, não ligue as luzes... Perceba a penumbra misteriosa que envolve as cores, tons de cinza circundam os cantos.
Ascendi à lareira ao nosso lado, desse modo, ficamos brilhando em tons avermelhados oscilantes do fogo que dança junto a chuva.
Esta escutando esse trepidar do fogo? É ele agradecendo ao frio por poder ser útil, nos esquentando, um acordo entre os opostos.
E nossas duvidas, e os nossos medos, nesta tarde, dão uma trégua. A chuva não traz apenas tristeza, e dias de sol não trazem necessariamente alegria. Nós nos fazemos de todo um modo, dando um tempo ao tempo.
A sua companhia aqui do meu lado, é muito agradável. Eu agradeço a você por poder desfrutar isso comigo.
E a chuva fica um pouco mais forte, é como se ninguém a estivesse vendo, ela dança sem pensar, ela existe para ela agora e faz a sua parte no mundo.
Assim como eu e você. Eu existo para você agora e você pra mim e o mundo para nós. E fazemos assim parte de um todo magnífico.
Não, a solidão não é triste. Todos nós somos solitários por sermos únicos no mundo. E logo, não nos sentimos tão sozinhos por existir tanta gente se sentindo assim. È isso, todos nós somos uma parte única que monta um universo transcendente. Todo para qual tem seu objetivo.
Segure a minha mão. Olhe-me nos olhos. Tudo vai dar certo. Abrace-me. Beije-me os lábios.
E fiquemos assim, imóveis, agora, como parte pensante do ambiente. Nossos corpos agora se fundiram com um todo. E nossas mentes se misturam com a chuva. E aliados do silencio, nessa tarde esquecida no calendário. Prometemos um para o outro que nossos dias não serão mais esquecidos.
Vamos sempre guardar lembranças das nossas frações de vida em dias aparentemente perdidos.
Fique aqui comigo por mais alguns minutos. Amanha haverá um mundo lá fora lhe chamando para a guerra. Descanse por ora.
E aprenda hoje com a chuva, a fazer sua parte, seja em qualquer tempestade e a dançar conforme a musica. A musica dissonante que o mundo rege. E a sua mais perfeita melodia composta, aquela que você segue, quando rege o teu sonho.

5 comentários:

Bárbara disse...

olha, dá até vontade de apagar a luz.
com certeza é um texto que me tranquiliza bastante. na verdade eu sempre gostei da chuva, e dos tons escuros. deve ser esse tal de silêncio que de alguma tá sempre me acompanhando.

hahah olha, eu nem sei o que comentar. desculpa msmo. é pqe eu gosto desse texto.
seria bom sempre ter alguns dias esquecidos por aí. :*

Chuck disse...

"...A Chuva nunca para de cantar... "
Cordel do Fogo Encantado.

-
Faz sua parte, pra tarde ficar mais poética.
Traz alegria a quem planta.
Estorva quem anda.

E Chove.

Mariah disse...

Começou a chover enquanto eu lia. Será... será.... coicidência?

Mariah disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ferdi disse...

A chuva que cai nesse instante me deu vontade de ter alguém por perto, parei pra observar a chuva cair..