terça-feira, março 03, 2009

Construções II


Flores com sono
campo com vento
Morro em silencio
Casebre e varanda

Arvore cantando
Criança correndo
Formigueiro em alerta
Rio que sustenta

Manhã de bruma
Tarde de sol
Noite de umbra
Cama e lençol

Café na mesa
Corpo e batente
Silhueta nos olhos
Tom de amarelo

Som de outono
Janelas com vento
Cortina que dança
Sala, sofa
Luz de manteiga

Boca de beijo
Abraço de corpo

Corpo na grama
Grama nos pés
Equilibrio na fonte

Dia entardecer
Tarde Anoitecer

Passaro voltando
Luz acesa
Começo de noite

Porta fechada
Luz pra sacada

Pés descalços, vinho e tapete.

De perto musica ambiente
de longe
Um Silencio engraçado.


10 comentários:

Marton Olympio disse...

Muito criativo o blogg!(2)

http://martonolympio.blogspot.com

ju peres disse...

senti o vento,
o cheiro da grama, a claridade da luz da sacada nos meus olhos e ouvi o silêncio do longe.
poxa, simples e mto legal! lindo!
dá pra visualizar tudo!
PARABÉNS pelo Blog!
^^

Nathany disse...

AdO.Orei!

pés descalços.. inspirador.


http://rodamorta.wordpress.com/

Thathá disse...

posso imaginar flores com sono ^^

J disse...

Parabéns, continue construindo.

Bárbara disse...

Rimas, fatos.. esse poema me soa divertido.

Nada mais precisa ser dito.. nota-se em todos os comentários.. todos foram tomados.

Bárbara disse...

Ih! rimou sem querer!

Katrina disse...

Fico procurando esse silêncio

Carolina. disse...

"Pés descalços, vinho e tapete"

nada mais a acrescentar.

Lua disse...

Oi! Muito bom teu blog
E este poema está lindo!
Versos simples e diretos, sem dificuldade para ler.. Parabéns, rapaz!

Lua