quinta-feira, agosto 20, 2009

Devoto Tempo

Eu devoro o tempo
Tenho fome, tenho pressa
Meu alimento

Meu devoto tempo
Escorre-me horas

Pelas mãos

Limpo os dias
Na toalha da mesa

Sabor de fruta
De maquina
Gosto de duvida
Sabor de dor

Eu descasco o minuto
Segundo por segundo
Milésimos pelo corpo

E o tempo que levo
Enquanto rumino o tempo
É o tempo que leva
Para ele
Devorar-me por dentro.

6 comentários:

pá. disse...

o tempo tortura.

Jota Reis disse...

Tempo, a sua gula, a minha e a nossa.

Milho Wonka disse...

tenho interesse no resgistro de Krypta.com, vc registrou? como mantemos contato?

Bárbara disse...

É assim. Quando vê já devorou. Naturalmente torturante

Thathá disse...

"E o tempo que levo
Enquanto rumino o tempo
É o tempo que leva
Para ele
Devorar-me por dentro."

Nossa! Fazia TEMPO q eu nao passava por aqui!!! Vc precisa arrumar uma editora e publicar essas coisas...

Mary Cagnin disse...

Caramba, vc precisa publicar seus poemas!
Se quiser, eu traduzo pra vc! hahaha...