terça-feira, novembro 27, 2007

Zumbindo Da Rua.

Era de manhã
Quando uma pequena abelha
Voou sobre minha cabeça
Enquanto tomava meu café na cozinha

Zuniu e pousou por todo canto pousavel...

E após analisá-la bem

Levantei-me e a segurei dentro de um copo
Com um pano sobre minha mão
Para que ela, assustada, não deixasse metade de seu estomago em minha mão

A levei até as plantas de meu jardim

Percebi então
Que se tratava de uma abelha velha
Então a pus ao sol da manha.
E fiquei com ela como fico com a minha avó

Não voou nem
Ficou refletindo pensamentos de abelha
No fim de seus dias dourados

Com olhinhos brilhosos do sol refletido
E seus pelos já grandes...

Ai, ai... Deu vontade de conversar com ela
Mas ela parecia cansada, e não queria conversa

Deixei-a lá, sozinha.

Voltei para minha cozinha
E deixei o copo na pia.

Pois pensei que o copo estaria sujo...

Não por ela ter vindo de fora
Mas por ela ter voado em minha cozinha.

7 comentários:

Bárbara disse...

todas as abelhas que passam perto de mim tem um certo ar de velhas, e já cansadas.. deve ser algum tipo de imã que eu tenho.

vce teve sorte, deve ter sido uma troca bastante respeitável entre vces.

..e aposto que ela deve ter gostado da sua cozinha. ^^

Jenny Tangerine disse...

Surreal e excêntrico!

Duas palavras que caracterizam muito bem coisas que eu simplismente gosto.

Besitos!

Anônimo disse...

você tem muita sensibilidade. isso é algo ímpar... mas vou acrescentar uma crítica construtiva:
faça e refaça o texto, mil vezes, cortando o que pode ser cortado. evite a redundância. e escreva. sempre!
feliz natal, ano novo... feliz tudo!

Mariah disse...

Ah dan... eu ri...
pensamentos de abelha?
hahahaha
fiquei muito tempo pensando o que uma abelha pensa.....

gabi delarge disse...

Costumo pensar muito sobre a vida quando me ocorre algo relacionado a abelhas. Mas geralmente narro de uma maneira bastante diferente, e não tão poética. Talvez eu precise acrescentar um pouco mais de poesia na minha vida, haha.

Katrina disse...

A la Manuel Bandeira.
Somos todos abelhas velhas,voando em volta de um pote de mel.

Anônimo disse...

e de repente toda a grandeza do mundo num gesto