quarta-feira, março 05, 2008

Calor do Momento

O calor, o sol, esquenta e torra todas as minhas ligações cerebrais. Destrói a minha face. Minha vontade.
A vontade de mudar o mundo se abalou. As suposições de poder viver... Expectativas impostas, se distorcem e regozijam-se diante minhas visões sonhadoras. Trançando centímetro por centímetro de vida, dedicando o tempo pra poder garantir um belo sorriso no rosto, para ter o poder de esbanjar satisfação, humana.

Vagos corpos, vagas insônias nas metrópoles... Choros ébrios. Na noite que nunca acaba.

Por dentro de toda a estrutura firme, orgulhosamente apresentada atrás das vitrines e mesas de escritórios, encontram-se frágeis peças em eminente destruição, por qualquer coisa que mude a rota traçada. Que pena, os trilhos levam até uma triste colisão, quer dizer, na verdade, não chega a ser triste. Triste é a tentativa de lutar contra um fim que nascemos sabendo que é certo.
Do que importa quem somos nós, se temos uma vida, e uma vida não é suficiente para conhecer alguém? Com exceção dos pobres de espírito. Mas o esforço e compaixão foram inventados pra isso.

Todos nós sangramos, todos nós precisamos dos mesmos meios para poder viver e mesmo assim.
Uma coisa é ler, ver, estudar, outra é viver. È fácil julgar quando não é a própria pele que esta em jogo.
Tolos, fazemos parte do jogo.

Que a temporada de caça aos heróis comece. E o vilão está ganhando mais uma vez... Alienação.
Os animais também sonham... Os animais também sofrem com pesadelos. Os animais sentem medo. Um animal certa vez sonhou com vacas gordas, vacas magras.
É tão legal e patético, certas coisas, confesso que até me deprimo às vezes. Mas gosto, sou patético também, sou um alienado também, mas e dai?
Mais pra frente irei falar com orgulho da minha vida patética assim como fazem os velhos hoje. Que, alias, falam tanto, que todo mundo prefere ser um pateta antigo, a atual. Mas se alguém quiser viver minha vida antiga e patética mais pra frente direi, "Cuide da sua vida!", bom se houver vida daqui um tempo.
Essa modernidade toda é muito excitante, hoje quem pensa no futuro é só quem sabe o quão ruim foi o passado. E todo mundo, jovem, não sabe disso, só gostaria de ter visto Geraldo Vandré no palco e ter uma "causa".
Não sei que sempre vivem procurando causas, é do ser humano sempre procurar alguma coisa pra reclamar. Sempre tem algo... Mas ninguém descobre o que é, pelo menos hoje em dia.
Tempos modernos e Vidas antigas. Vidas novas Tempos antigos.

Mas no fim.
Acho que tudo isso não passa na verdade de algum superaquecimento Cerebral.
Pelo menos o calor desproporcional faz pensar um pouco.

3 comentários:

Ferdi disse...

Fala tudo que eu quero dizer mas não acho as palavras, sempre.
É Dan.. é o mundo em que vivemos, eu e você fazemos parte dele, todo mundo, não tem jeito.
Até os mais diferentes são humanos e vão viver da mesma forma.
É uma pena.. ou não, não sei como seria de outra forma, sei que assim é e é da minha natureza reclamar de tudo, então reclamo.

Catharine disse...

Gostei desse texto especialmente por sentir uma certa humildade..
enfim. somos todos humanos... com diferenças sim... ateh nos meios para poder viver eu acho! iguais na base de todo ser.
Mas.. certas coisas nao mudam....


Ah! sabe q me chamou atençao essa historia de julgar? Acho q isso eh uma coisa natural do ser humano.. q vai mudando aos poucos e fazem cresce (nem sempre..)... mas ha quem perceba um erro como aprendizado.

Anônimo disse...

... humano demasiado humano.


somos nós. sou eu. você. aquele lá. o outro ali.

cada um do seu jeito. com a sua visão do mundo e de si próprio.

Não sei.

citou reclamações.. eu as chamo de resmungos.. (vc bem sabe..) eles existem.. e se a vontade é sincera.. então resmunguemos.. reclamemos.. a unica coisa que eu desejo é que.. resmunguemos das coisas certas.. com verdade.. e com atitude pra que o resmungo não mais seja dado.

Gosto de viver e.. o calor as vezes nos faz pensar.. e em outras nos ofusca a visão.. principalmente pra quem tem olhos azuis.

hah. (delicadinho lindo!)

Não seja tão duro com a realidade, afinal você a torna SUA realidade, ninguem mais.

A vida é essa. com noites que não acabam. surpresas. expectativas. destruições. barulhos e silencios.

saibamos que nas noites interminaveis livros podem ser consumidos e batalhas em tabuleiros travadas..
surpresas existem a partir das expectativas.. dai saber regular.. ou se preparar.. para elas.. (para as boas e para as ruins..)
destruições tem de esxistir para que outras coisas sejam construidas em seu lugar..pense na palavra destruição como renovação.. e nas que esse sinonimo não servir meu querido abstraia e saia de perto.

e quanto a barulhos e silencios.. eles se completam. e eu tenho sorrisos no rosto por pensar que ambos existem.

nem tudo é um jogo.

não sei se você vai entender um tico do que eu escrevi.. simplesmente saiu. espero que faça sentido. haha

não tenho tanta facilidade.. como alguns que escrevem em bloggs por ai.

nesse mmomento.. qualquer coisa é melhor que um silencio e um sorriso meu que vc não consiga ver pela tela do seu computador.