terça-feira, julho 27, 2010

Tal qual a razão de ...

...certas coisas acontecerem
Sobre prelúdios de noites vãs

É essa impressão

De profecia sem destino
Saudade do que não viu
Razão sem objetivo

A superfície sempre foi real
Mas realidade agora
É superficial

As portas e placas
Estradas e faixas

Dividi-nos

Em busca da Emoção ideal
Através de um meio Artificial

A verdade está escondida
Na ofuscação de uma luz

Que não precisa ser compreendida
Apenas sentida no ar
Em todas as coisas

Nossas matérias, materiais
Também somos nós

Tudo provindo das
Tais poeiras

Astrais



4 comentários:

Marys disse...

"Saudade do que não viu"
Nostalgia da vida.
Busca da felicidade plena.
Vc parece uma máquina de raio-x.

Roza Heautontimoroumenos disse...

Saudade ao avesso.

Ariany disse...

Olá,

Meu nome é Ariany, eu represento o Blog Vestibular, da FECAP (Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado).
Primeiramente lhe parabenizo pelo seu blog e pela postagem.
adorei a frase:
"A verdade está escondida
Na ofuscação de uma luz"
E gostaria de lhe convidar a conhecer e opinar num ambiente repleto de informações sobre educação: http://blogvestibularfecap.blogspot.com/

Conto com a sua visita!
Até mais!

pá. disse...

visita de madrugada com talqual a razão de na tela.