sexta-feira, julho 23, 2010

Valei-me

Sinto que preciso escrever essas linhas para manter-me vivo. Pois sempre haverá coisas que não podemos prever. Se prevenir de algo que desconhece parece loucura, mas alguns têm um dom incerto para a profecia. Alguns raciocinam mais, outros sentem mais as coisas ao seu redor. Considero coisas indistintas.
Independente do que sejam aqueles arrepios em certas noites. O ar pesando nas narinas, e as nuvens parecendo flutuar mais baixo, em formato de sinais a serem captados.
A lua e as estrelas nos revelam parte do caminho.
Não consigo ser cético. Digo que existem coisas que ainda não compreendemos pela ciência, e podemos encontrar hoje apenas através da nossa mente. E nossa mente esconde tantos mistérios e tantas curas.
Percebemos que dentro da nossa linha de visão sempre há alguém que precisa de certa ajuda. E quem somos nós para ajudar alguém quando nem conseguimos nos salvar desse mundo insano?
O jeito é; não há saída. Não dá tempo de tentar correr. Todos nós precisamos do clichê, do amor, esse que tudo envolve. Não há reforma social se não haver reforma espiritual e intelectual.
A palavra amor possui um significado há tempos extinto na expressão espontânea dos olhares. Há o formato, junto do interesse com o conveniente e a manipulação. O amor virou um signo que não muitas pessoas podem entender. E os que entendem, tendem a ir embora, carregando consigo um dos mais lindos segredos. Quando há palavras para descrevê-lo, só existe incompreensão e a edificação de falsos templos e tendências. Mas quando flui através do olhar e de pequenos atos, de simples sorrisos e um forte abraço, dessa maneira sim, podemos sentir onde tudo começa. Mas o caminho não é fácil. O amor faz sofrer e o ar faltar. Traz a angustia que comprimi nosso peito até beirarmos a loucura em noites mal dormidas.
Sim, existem mistérios na vida, um deles, somos nós.
Mas modernizaram a rotina, enfeitaram a forma de pensar. Hoje nada é o que parece ser. Somos coisas que podem se vender. Ninguém nunca disse que seria fácil. Mas tento levar a vida da maneira mais simples que posso. Com nada mais do que eu preciso, para poder sorrir de novo.



Um comentário:

Don Bruno disse...

HOje nada é o que parece ser, nesse contexto é de uma realidade impressionante. Todos nós nos vendemos, algumas pessoas aceitam isso e jogam o jogo da melhor forma possível, para ganhar, outras simplesmente não vêem que é um jogo e outras ainda não se conformam com esse sistema.

Não se conformam com a distância entre nossa essência, o amor, e o quão distante ele fica, cada vez mais.

São as escolhas que tomamos que nos mostram o caminho pelo qual caminhamos.

Um brinde aos amores perdidos, as vidas que não foram, às dores que dilaceram.

Como disseram os Beattles - You`ve got to hide away your love. Mas eu digo FODAM-SE vocês.